sexta-feira, 28 de novembro de 2008

É PRECISO UM PAÍS


Não mais Alcácer Quibir.

É preciso voltar a ter uma raiz

um chão para lavrar

um chão para florir.

É preciso um país.


Não mais navios a partir

para o país da ausência.

É preciso voltar ao ponto de partida

é preciso ficar e descobrir

a pátria onde foi traída

não só a independência

mas a vida.


De Manuel Alegre,in O Canto e as Armas

Um comentário:

jl disse...

Bom, o nosso MA, ao menos, deixa-nos alguns muito bons poemas...

Creio que ele chegoua a pensar deixar mais alguma coisa... Mas deve-se ter esquecido!

Repito: ficam os poemas. E bons que são.