segunda-feira, 19 de maio de 2008

CANTAR ALENTEJANO/NO ANIVERSÁRIO DO ASSASSINATO DE CATARINA EUFÉMIA(19 de Maio de 1954)


Chamava-se Catarina
O Alentejo a viu nascer
Serranas viram-na em vida
Baleizão a viu morrer

Ceifeiras na manhã fria
Flores na campa lhe vão pôr
Ficou vermelha a campina
Do sangue que então brotou

Acalma o furor campina
Que o teu pranto não findou
Quem viu morrer Catarina
Não perdoa a quem matou

Aquela pomba tão branca
Todos a querem p'ra si
Ó Alentejo queimado
Ninguém se lembra de ti

Aquela andorinha negra
Bate as asas p´ra voar
Ó Alentejo esquecido
Inda um dia hás-de cantar



Poema e música de José Afonso,in Cantigas do Maio
Gravura de Dias Coelho(também ele assassinado pela PIDE)

3 comentários:

Anônimo disse...

Justíssima tripla homenagem: a Catarina, ao Zeca e ao Dias Coelho.

(As duas últimas quadras do Zeca marcam a diferença)
mc

Maria Mar disse...

Parece que o poema é de António Vicente Campinas...

é sempre bom recordar os rostos de Abril.

aminhapele disse...

Agradeço a informação maria mar.
Tinha informação que o poema era do Zeca.
De qualquer modo,é um belíssimo poema!