sexta-feira, 18 de abril de 2008

A BILHA


1
Bilha:forma que se casa
Com o meu coração,
A dar-me,simples,a asa,
Como um menino a mão!

Bilha que serve,na mesa,
E espera,sobre a toalha,
Que a gente sinta a beleza
De quem a trabalha...

Bilha:donzela que dançou,
Dançou tanto de roda,
E na "pose" que me agrada,
De repente ficou!

2
Bilha só para ver...
Parece uma rapariga
Que ninguém quer,
A mostrar a barriga!

Bilha:mais bela por servir,
Por nem sempre conter,
Por se poder
Partir...

Bilha que trabalha,que serve,
Que se enche e esvazia
Com a água e com a sede
De cada dia!

3
Serás,bilha,só a terna
Parede feminina
Entre o espaço que te cerca
E o espaço que te anima?

Mas da própria condição
De só deveres conter
Água para beber
Se forma o teu coração!

De Alexandre O'Neill,in "No Reino da Dinamarca"

3 comentários:

Anônimo disse...

A prova de que de coisas e factos comezinhos se pode fazer um interessante poema.
mc

João disse...

olá
seu blog esta muito legal mesmo, e virei aqui mais vezes para ver.
se poderes passa pelo meu blog e espero que vc goste.
eu tbm faço parcerias de link se vc quiser podemos trocar links ao banner

Rosa Brava disse...

"...Bilha que trabalha,que serve,
Que se enche e esvazia
Com a água e com a sede
De cada dia!"


O'Neill... sempre!

Bjinho
;)