domingo, 8 de junho de 2008

SANTA MARIA LA BLANCA


Santa Maria La Blanca

Da Catedral de Toledo:

Que bem aqui ficarias

Debruçada no presépio,

Com o teu arzinho de névoa,

De mistério e de segredo,

Santa Maria La Blanca

Da Catedral de Toledo.


Soçobrava,ao sol da tarde,

El Tajo de corpo fino.

Corre o Tejo aqui à beira.

Vós não teríeis saudades,

Virgem Branca e meu menino.

Soçobrava,ao sol da tarde,

El Tajo de corpo fino.


Cantavam pássaros loucos

No claustro da catedral.

Também eu te cantaria,

Por seres a Virgem Maria

E ser noite de Natal.

Cantavam pássaros loucos

No claustro da catedral!


Com teu arzinho de névoa

Podias mostrar-te ao Mundo.

Com teus dedos de água pura

Podias banhar o Mundo,

Iluminar com teus passos

Os pinhais de todo o Mundo

Nesta noite de Natal.

Trazer o Reino dos Céus

Para os caminhos do Mundo

Porque os homens vão matar

O teu menino,no Mundo!


Porque esperas,Virgem Branca,

Da Catedral de Toledo?!

Porque sorris,Virgem Branca!?

Não sabes? Mataste o Medo?

Gabriel não disse tudo?

Para a Dor inda era cedo...

Mas que névoa no teu ar

De mistério e de segredo,

Santa Maria Blanca

Da Catedral de Toledo.


De Natércia Freire

2 comentários:

darlan hayek disse...

parabens pala iniciativa de passar a frente o mais belo de toda a bela arte chamada poesia, gostaria de agradece-lo, e pedir sua ilustre visita em meu blog docepoetica.blogspot.com, abraço....darlan hayek

Anônimo disse...

Gostei.
Por vezes gosto de voltar à matriz clássica da poesia.
Natércia, aqui, já se afastava um pouquinho desse molde...
Tinha poemas muito interessantes. Como este, por exemplo.

mc