quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

MORTE E VIDA SEVERINA

O meu nome é Severino,
como não tenho outro da pia.
Como há muitos Severinos,
que é santo de romaria,
deram então de me chamar
Severino de Maria.
Como há muitos Severinos
com mães chamadas Maria,
fiquei sendo o da Maria
do finado Zacarias.

Mas isso ainda diz pouco:
há muitos na freguesia,
por causa de um coronel
que se chamou Zacarias
e que foi o mais antigo
senhor desta sesmaria.

Como então dizer quem falo
ora a Vossas Senhorias?
Vejamos:é o Severino
da Maria do Zacarias,
lá da Serra da Costela,
limites da Paraíba.

Mas isso ainda diz pouco:
se ao menos mais cinco havia
com nome de Severino
filhos de tantas Marias
mulheres de outros tantos
já finados,Zacarias,
vivendo na mesma serra
magra e ossuda em que eu vivia.


Somos muitos Severinos
iguais em tudo na vida,
morremos de morte igual,
mesma morte severina:
que é a morte de que se morre
de velhice antes dos trinta,
de emboscada antes dos vinte,
de fome um pouco por dia
(de fraqueza e de doença
é que a morte severina
ataca em qualquer idade,
e até gente não nascida).

De JOÃO CABRAL DE MELO NETO

14 comentários:

moitacarrasco disse...

J C de Melo Neto é um dos meus poetas de eleição. A Morte e vida Severina é aquele poema enorme que nunca me canso de ouvir (ou ler - tenho as duas versões).

Dói, mas desperta para uma dor que alguns preferem não lembrar.
Soberbo.

Anônimo disse...

Eu acho isso tudo uma perda de tempo, mas como as aulas de literatura obrigam tamo ae...

Sua mãe disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, perda de tempo...
tbm so estou aqui por causa das aulas chatas de literatura ¬¬

Elaine Berti disse...

Em primeiro lugar quero te dizer que gostei muito de seu blog, e que a poesia enobrece a alma e nos faz refletir sobre a sociedade, humanidade, e sobre nós mesmos, e a mesquinharia humana muitas vezes. Lamentável ver que algumas pessoas que aqui comentaram não veém a poesia dessa forma, talvez por culpa das escolas que obrigam alunos a lerem João Cabral de Mello neto apenas para ingressarem na universidade, sem apresentarem a eles a grandeza da visão poética... Enfim, falei demais, hahahahaha. Meus parabéns!!! Beijos.

Anônimo disse...

muito bom ,ma sa livro sendo distribuidos gratuitamente a alguns alunos do 3° ano que nem ao menos tocam no livro!

Tatylla disse...

A obra de João Cabral de Melo Neto ganhou várias adaptações para outras linguagens.

Cinema, TV e até animação.

Para saber mais, visite meu blog sobre comunicação: http://tatylla.blogspot.com/

Anônimo disse...

quero dizer que seu blog é muito exelente e agradecer por você ter feito ele...
Com sua ajuda consegui ex´pandir meus conhecimentos literarios e assim compreender a grandesa de João Cabral.
Por fim, para aqueles que dizem "isso e perca de tempo" por favor não se sinta ofendido pois isso NÃO é uma perca de tempo, por que ficar sem conhecimento e sim a verdadeira perca de tempo. meus sinceros agradecimento



Michael Nunes

Anônimo disse...

cara eu adoro esse poesia nao sei porque mais é linda me desperta uma sensibilidade nao sei como nem porque mias nossa adorooooooooooo

Anônimo disse...

eu so tenho 12 anos e tenho q aturar isso!!! aula de redação! mais nunca é d+ para arender ner afinal 1 ano vem ai?!

Anônimo disse...

muito bom esse poema

TV OZI disse...

Fizemos uma animação em 3D de Morte e Vida, confiram em:
http://www.youtube.com/watch?v=alOXpuFX8yo

aminhapele disse...

Esta "animação" é muito bonita e está bem conseguida.
Parabéns e obrigado.

Anônimo disse...

Há erros de portugues: "quem fala ( e não quem falo) ora a vossas senhorias".
"Como" não tenho outro de pia( eliminar o "como").
É bom prestar mais atenção!
Marcia

aminhapele disse...

Agradeço a sua dica.
Vou verificar e proceder às correcções necessárias.