sexta-feira, 23 de novembro de 2007

NIETZSCHE


A partir de hoje pende-me ao pescoço

De um fio de cabelo o relógio das horas:

A partir de hoje cessa o curso dos astros,

E o sol,e o cantar do galo e as sombras;

E o que o tempo jamais me anunciou

É agora surdo e mudo e cego : --

Toda a Natureza agora se me cala

Ao tique-taque da lei e do relógio.



In CONTRA AS LEIS

4 comentários:

moitacarrasco disse...

Um Nietzsche poeta...
Coisa rara, ao que penso.

bruno disse...

olá!+1vez eu posso comentar o que é de praste nit um grande pensador sabia como poetizar a vida em sua simplicidade

Amanda disse...

Grande pensador ao meu ver...

Jairoberto Costa disse...

Um gênio completo,só lamento pelo colapso mental...( o sempre não é fim... )